Skip to content
Maiores produtores de grãos do Araguaia não possuem unidades do Corpo de Bombeiros, que nos últimos dias tem atuado no combate a vários incêndios em silos espalhados pelo MT

Silo em Campo Verde; Foto – Bombeiros

A produção de grãos do Mato Grosso cresce a cada ano e um dos maiores crescimentos ocorre na região do Vale do Araguaia e Xingu, no Leste do Estado. Porém, um vácuo de mais de 500 km sem nenhuma unidade do Corpo de Bombeiros, deixa não só os moradores das cidades, mas todo a cadeia do agronegócio, vulnerável contra incêndios.

Entre Nova Xavantina e Confresa, cidades com mais de 500 km de distância e que possuem unidades do Corpo de Bombeiros, estão Querência e Canarana, os dois maiores produtores de grãos de todo Vale do Araguaia, que, junto às vizinhas Água Boa e Gaúcha do Norte, cultivam mais de um milhão de hectares de soja.

A importância de ter uma unidade dos Bombeiros para o setor do agronegócio foi demonstrada dentro do Mato Grosso por três vezes nos últimos dias. No dia 20/06, os militares apagaram um incêndio em um silo há 22 km de Nova Mutum, no Médio Norte. O incêndio estava localizado no secador e a equipe realizou o combate por três horas, fazendo com que o fogo não se alastrasse e provocasse maiores estragos.

No dia 23, cinco bombeiros combateram um incêndio no secador em um silo localizado no município de Sorriso, também no Médio Norte, conseguindo controlar o fogo depois de 40 minutos. No mesmo dia, em Campo Verde, no Centro Sul, os militares combateram um incêndio em um secador e, depois de intenso trabalho, as chamas foram extintas com sucesso.

LEIA MAIS – CBM extingue incêndios em silos no norte do Estado

Procedimento padrão

A AGRNotícias entrevistou dois trabalhadores de silos em Canarana, sob a condição de anonimato, para saber quais equipamentos que as empresas tem e as instruções que os funcionários possuem em caso de incêndios.

Um deles disse que a empresa possui um bom sistema de hidrantes, vários extintores e a equipe é treinada. Também existe um procedimento interno que serve como um guia de orientação em caso de emergência. “Nesse guia existem diversos exemplos de emergências que podem ocorrer na filial e tem descrito como proceder em cada emergência. Já tivemos casos em que tivemos que apagar fogo e a equipe foi bem eficiente”, disse ele.

Porém, caso a empresa não consiga controlar algum princípio de incêndio, é acionada ajuda externa, que é limitada na região. “Ter uma unidade do Corpo de Bombeiros seria muito importante. Além disso, apesar da equipe ser treinada, acredito que seria bom ter mais cursos, porque os funcionários são os primeiros a entrar no combate aos incêndios”, acrescenta o funcionário.

O colaborador da outra empresa disse que o armazém também possui equipe treinada e equipamentos, mas alerta que são insuficientes para combater incêndios de grandes proporções. Para evitar os sinistros, ele disse que o armazém constantemente realiza manutenção nos silos. “Temos o secador onde é utilizado fogo para secar o produto, então é um risco né! Ou mesmo em cabeça de elevador, aonde uma engrenagem para e a correia no movimento de “esfregar” causa o incêndio”, relatou.

Outras ocorrências

A importância de unidades do Corpo de Bombeiros não é somente para combater possíveis incêndios em silos de grãos. Além de auxiliar para diversos tipos de ocorrências nas cidades da região, uma equipe de bombeiros militares também atuariam no combate a incêndios florestais, pastagens, lavouras, sedes de fazendas; e até em acidentes de trabalho nos próprios silos de grãos.

Juntamente com Sorriso, Canarana liderou na última década o registro de mortes provocadas em acidentes nos silos em Mato Grosso. Cada um dos municípios registrou nos últimos 10 anos, sete mortes de trabalhadores em armazéns. Um dos acidentes mais graves ocorreu em 2013 em Canarana, quando quatro trabalhadores morreram com o desabamento de um silo.

Maiores produtores de grãos do Araguaia não possuem unidades do Corpo de Bombeiros, que nos últimos dias tem atuado no combate a vários incêndios em silos espalhados pelo MT

Um dos acidentes mais graves ocorreu em 2013 em Canarana, quando quatro trabalhadores morreram com o desabamento de um silo; Foto – Arquivo AGR

Treinamentos

Ciente da falta de estrutura, os sindicatos rurais em parceria com o Senar-MT, tem realizado treinamentos de prevenção e controle do fogo. Em outubro do ano passado, o treinamento foi realizado em Canarana com 12 participantes. O objetivo é capacitar trabalhadores rurais e de empresas a atuarem em casos de incêndios.

LEIA MAIS – Senar realizará Treinamento de Prevenção e Controle do Fogo na Agricultura

Brigadas Mistas

Entre os quatro municípios do Médio Araguaia (Canarana, Querência, Água Boa e Gaúcha do Norte), todos sem Corpo de Bombeiros, o único que possui uma Brigada Municipal Mista é Canarana, formada todo o ano no período de seca em conjunto com a corporação, que tem sido uma iniciativa paliativa. Neste ano os trabalhos iniciam no início de julho e se estendem até meados de outubro.

Nessa parceria, servidores públicos municipais recebem treinamentos e equipamentos e, em caso de sinistro, atuam no combate a incêndios, utilizando dois caminhões “pipa” da Prefeitura e tendo sempre o apoio de dois ou três militares, que são cedidos pelos Bombeiros. Os servidores municipais que integram a equipe também recebem uma remuneração extra pela Prefeitura para fazerem parte da Brigada.

Em 2019, a Brigada Mista atendeu mais de 200 ocorrências de incêndios na cidade e no interior do município.

Por AGRNotícias.

Deixe uma resposta

Scroll To Top
%d blogueiros gostam disto: