Ir para o conteúdo

A soja convencional ocupa uma boa área na região do Vale do Araguaia/Xingu na safra 2021/22. Conforme levantamento da Rádio Interativa, feito junto a armazéns, foram mais de 65 mil hectares com o grão não geneticamente modificado.

Arte – Rádio Interativa.

O município com a maior área é Gaúcha do Norte, com mais de 18 mil hectares, seguido por Querência com mais de 17 mil. Na microrregião conhecida como Xingu, abrangendo vários municípios, foram cerca de 19 mil hectares.

No Médio Araguaia, em Água Boa a soja convencional ocupou 3.800 hectares, em Canarana foram 3.200, em Nova Xavantina 2.300 e em Ribeirão Cascalheira mais de dois mil hectares. Outros municípios da região também devem ter pequenas áreas com soja convencional, mas os números não forma levantados.

LEIA MAIS – Déficit de armazenagem de grãos da safra 21/22 é estimado em 54,28 milhões de ton.

O prêmio pago a mais pela soja convencional pode chegar aos R$ 35,00 por saca. Porém, vale destacar que o custo de produção também é superior à soja geneticamente modificada e o seu manejo é mais difícil, sendo necessária mais aplicações de defensivos.

Na atual safra, a região Nordeste, que abrange a maioria dos municípios do Araguaia/Xingu, ultrapassou pela primeira vez, conforme o Imea, os dois milhões de hectares com soja, se consolidando como a terceira mais região produtora do grão em Mato Grosso.

Por AGRNotícias com Informações da Rádio Interativa e Imea.

Deixe uma resposta

Role para cima
%d blogueiros gostam disto: