Ir para o conteúdo

Publicidade.

Com pouca área já colhida (cerca de 8%), os agricultores de Gaúcha do Norte – MT tem enfrentado algumas dificuldades na reta final da safra 21/22. As chuvas intensas têm atrapalhado os trabalhos nas lavouras e a precariedade das estradas da região tem dificultado o escoamento da produção.

Luiz Pedro Poletti Bier, produtor rural local, tesoureiro do Sindicato Rural da cidade e 2º vice-presidente leste da Aprosoja, fez um apanhado de como está a colheita no município: “A colheita engrenou na segunda quinzena de janeiro e historicamente estamos colhendo mais cedo que a média, as produtividades estão sendo dentro da expectativa, não estamos em uma produtividade recorde, porém, estamos acima da média dos últimos 10 anos”, pontuou.

Cerca de apenas 8% da área foi colhida em ‘Gaúcha’.

Mesmo iniciando a colheita mais cedo, o tempo tem prejudicado os agricultores. “As colheitas estão atrasadas por causa da chuva, isso tem gerado grande apreensão nos produtores, principalmente porque estamos vindo de um ano que houve muitas perdas de soja por questão climática, de dificuldade de colheita, no ano passado a chuva também nos prejudicou na época da colheita e se o tempo não melhorar devemos ter o mesmo problema esse ano. Porém, esse ano temos um agravante, as estradas no município nunca estiveram tão ruins, a gente teve um bom volume de chuva aí também acima da média em dezembro e janeiro, as rodovias não pavimentadas estão deixando um caos e temos apenas cerca de 65% de capacidade de armazenamento no município. Então, obrigatoriamente a nossa soja aqui de Gaúcha do Norte tem que ir para fora, porque não temos onde armazenar tudo, e com essa dificuldade de logística estamos com medo de não conseguir tirar o produto do município”, afirmou Bier.

Empaer orienta comunidade indígena de Paranatinga sobre o plantio de banana da terra

“As previsões para os próximos 15 dias não são animadoras, porém a gente torce para que tudo de certo e todos os agricultores consigam tirar a safra do campo já que a principal fonte de renda, a grande força que impulsiona a economia do município de Gaúcha do Norte é de longe a soja”, finalizou o vice-presidente leste da Aprosoja.

Com cerca de 230 mil hectares ocupados pela soja, a expectativa é de aumento da área de segunda safra em Gaúcha do Norte justamente pelo início da colheita ter sido mais cedo que os anos anteriores e o bom preço que o milho vem firmando. 

Por AGRNotícias.

Deixe uma resposta

Role para cima
%d blogueiros gostam disto: