Skip to content

 

Produtores rurais buscam cada vez mais inovação. É o caso do produtor rural e líder sindicalista de Água Boa – MT Antonio Fernandes ‘Tunico’ de Mello. Ele plantou pela primeira vez na atual safrinha 19/20, uma área de 50 hectares com feijão mungo para exportação. Trata-se de uma cultivar com alto nível de proteína e de ciclo curto, com 60 dias apenas.

Com o ciclo precoce, esse feijão é indicado para ser plantado no período de safrinha.‘Tunico’ informou que essa nova cultivar precoce exige apenas uma aplicação de fungicida. Já o combate a insetos também exige menor investimento. O sindicalista disse que com apenas duas aplicações conseguiu controlar o ataque de insetos. Sendo assim, os custos de produção são bem baixos, afirma.

Ele esclareceu que a produtividade do feijão é bem menor se comparada com a soja. Hoje são colhidas em torno de 20 sacas de feijão por hectare. O produto vai para exportação, o que aumenta a renda ao produtor rural. Nesse ano a saca pode variar de R$ 80,00 a R$ 100,00. Os principais mercados consumidores são a Ásia e a África. Por seu alto teor de proteína, os vegetarianos costumam usar o produto. Mello acredita que o feijão mungo é uma boa opção para segunda safra, principalmente pelo ciclo precoce da cultura e pelo baixo custo de produção.

Tonico Melo.

Feijão Mungo

O mungo é um espécime de coloração esverdeada menor e mais arredondada do que um feijão carioca. Ele é originário e popular na Índia e, atualmente, já é muito presente na culinária tanto indiana quanto asiática, tornando-se ainda mais presente. Muitas pessoas procuram acrescentar o feijão mungo na dieta por sua grande quantidade de fibras, proteínas e minerais, como cálcio e potássio, qualificando a saúde quando o consumo for equilibrado. A partir da presença dos nutrientes citados, o feijão mungo é popular por ajudar em pontos como:

• Regular o colesterol
Com a alta concentração de fibras, a leguminosa ajuda a reduzir o mau colesterol e regular a pressão, estabilizando o fluxo de sangue do nosso corpo e reduzindo as chances de doenças do coração.

• Melhorar o sistema imunológico
Outro benefício é que o feijão contém muitos nutrientes que ajudam no combate de vírus e bactérias, ou seja, são propriedades anti-inflamatórias e antimicrobianas, além da maior quantidade de vitamina C que ajuda no aumento dos glóbulos brancos.

• Equilibrar o sistema digestivo
A alta concentração de fibras do feijão mungo também é interessante por seus benefícios para o sistema digestivo. Pessoas com o metabolismo mais lento tendem a acrescentar o feijão em sua dieta e reduzir problemas como acidez estomacal e indigestão, contribuindo para melhorar a qualidade de vida.

• Ajuda no controle da diabetes
Ajuda no controle da diabetes a partir de seu baixo índice glicêmico, regulando a concentração de açúcares no organismo. Todos esses benefícios podem ser ainda mais proveitosos com o consumo de outros alimentos que qualificam as ações do feijão mungo e colaboram com a saúde dos envolvidos.

Por Inácio Roberto, para a AGRNotícias. Fotos: Tonico Melo.

Deixe uma resposta

Scroll To Top
%d blogueiros gostam disto: